reforma_estatutaria.jpg 

_data_web_ansef_public_html_arquivos_capas_banner-goezona.jpg

banner-189-largura.jpg

banner_associativas.jpg

      imbel3.jpg       

voz_ativa.jpg
banner_jicos_ii_.jpg
seguro.jpg 
banner_unimed_fapes.jpg
banner xii joids.jpg 
2011wpfg-logo.gif
joiapof.jpg
Superintendente de Santa Catarina associa-se a Ansef/SC PDF Imprimir E-mail
Associativas
Site da Ansef/SC   
01-Out-2009
Image
Wagner Tiezerin, Thomaz Mendiondo e o Superintendente Ademar Stocker.


    O recém empossado superintendente da Polícia Federal em Santa Catarina,  Delegado Ademar Stocker, formalizou o termo de proposta de sócio da Ansef/SC. O ato aconteceu dia 28 de setembro no Gabinete da SR/DPF/SC, na presença dos diretores da Ansef: presidente Thomaz Chagas Mendiondo e do diretor financeiro Wagner Tiezerin

    Ao tomar posse, em 23 de julho de 2009, Stocker com um discurso inusitado arrancou risadas e aplausos ao entoar com versos a sua trajetória pessoal e policial. Declarou-se poeta, cantor, compositor e radialista tradicionalista. Logo no primeiro dia, o novo superintendente envolveu a superintendência com um clima de descontração.


MINHA VIDA (A. Stocker – 23.07.2009)

Campeiro por excelência,
Assim meus primeiros passos dei.
Na pura, mas dura cepa
Sempre cumprindo a Lei.
Foi nessa estirpe galponeira,
Nos pagos do Buriti,
Minha querência missioneira,
Que, despacito, me criei.

Aquela vida não me servia,
Por isso, outro horizonte sonhei.
Êta vida sofrida aquela,
Então, outros caminhos busquei.
Estas, senhores, são as razões,
Do porque? os pagos da minha infância,
Eu deixei.

Fui internado num seminário;
A contra gosto deste peão.
Não nasci pro rezandário,
Ser padre: aí também não!
Por isso, logo fui expulso,
Pois não tinha vocação.

Decepcionei minha mãe,
Mas não frouxei o garrão.
Arranjei logo um emprego,
E fui trabalhar de garçon.
Depois, fui até bancário,
Onde conheci a escravidão.

Assim continuei minha sina,
De conquistar meu espaço.
Sem nunca pisar em ninguém,
Mas quase sempre levando puaço.
Missioneiro, peleia mas não se entrega
E assim segui ditando o compasso.

Logo veio a recompensa,
Deus é justo e não faz mal.
Fui bater na porta d’um rancho,
Pois vi ali meu ideal.
Esta porta então se abriu,
E vim ser um policial federal.

Primeiros passos da carreira,
Dei lá nos pagos de Santa Maria,
Cidade universitária,
Berço da tertúlia e poesia.
Foi lá que eu descobri,
O que estava dentro de mim,
E nem mesmo eu sabia.

Depois rumei pra Porto Alegre,
Então já como Delegado,
Trazendo na mala de garupa,
O meu novo legado.
Afinal de contas,
Estava na Capital do Estado,
Mas deixando pra trás,
O meu sofrido passado.

Alapuxa, que coisa buena!
Nova porta então se abria,
Floria meus novos dotes,
Que no coração se escondia.
Senhores, peço licença,
Pra vos revelar neste dia:

Sou um pouco de campeiro,
Guitarreiro, Poeta e declamador.
Também tenho um pouco de alma,
De radialista e cantor.
Na dança, sou destrinchado,
Mas, nos braços da minha prenda,
Sou especialista no amor.
Só duas coisas na vida
Não meu deu Nosso Senhor
É de ser um bom motoqueiro,
E também ser laçador.
Mas dei um pealo certeiro,
E me orgulho dessa façanha
Lacei minha prenda Renilda,
Que até hoje me acompanha.

Aqui abro um parênteses:
Simone, minha filha, que hoje não pôde estar presente,
Te mando este conselho:
Siga os passos da tua mãe
E com ela seja uma eterna aprendiz
Pois, trilhando essa trilha,
Pode ter certeza que tu também,
Fará um homem feliz.

Paulinho, meu filho,
Siga os passos do teu pai
Este velho falquejado,
Que veio lá do Buriti.
Faça o bem, não faça o mal,
Que Deus vai reservar,
Algo de bom para ti.

Mas Ele, que é justo,
Contigo foi caborteiro.
Te deu um pealo certeiro,
E levou, de repente,
A tua Fernanda querida.
Mas tu és um guri bom,
E ele reconheceu o erro,
E te deu outra prenda,
Ainda mais linda,
A Marina, que está do teu lado,
Para realinhar tua vida.

Meus policiais federais
Desta SR/Santa Catarina:
Chego aqui com humildade,
Pois preciso de vocês.
Vamos nos dar as mãos,
E trabalhar com altivez
Somente com a união de todos,
Faremos desta Superintendência,
Uma Unidade nota dez.

Estou chegando:
A chegada, quase sempre,
É melhor do que a partida.
Quem chega traz esperança,
Quem parte é só despedida.
Mas pode ter certeza, Dr. Moura,
Sai deste comando, de cabeça erguida.
Deixando neste chão,
Um pedaço do teu coração,
E um pouco da tua vida.

E, para engrossar as fileiras,
Trago comigo um grande profissional:
Amigo fraterno, extrovertido,
Mas com sentimento profundo.
Apresento a vocês o novo DREX,
Delegado Mauro Vinícius,
O galo fino de Passo Fundo.

Aos que me confiaram este encargo,
Lhes dou certeza: Não vão se arrepender.
Vou doar meu corpo, meu sangue, minha alma,
A esta Casa que eu vi crescer.
E, como retribuição,
Entrego meu coração
A esta Superintendência Regional,
Que faz por merecer.

E, de lambuja, te peço,
Oh Deus, Nosso Senhor,
Me ajude continuar a ser.
Um chefe justo, idealista,
Verdadeiro cumpridor do dever.
Desde hoje,
E por todo o tempo,
Que por aqui estiver.
 
< Anterior   Próximo >